Magnólia: Fome

Divirta-se.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Fome

Minhas unhas vermelhas descascam, penso se daria para chegar ao paraíso com as unhas assim, não vejo sentido em ser impecável, não vejo nexo em ser querubim.
De humildade eu já me servi, à ignorância já dei as mãos, ficar cega já me fez feliz, hoje prefiro um bom aumento de grau.
Não há consolo para os que, como eu, não se saciam, não há pedaço que sustente para aqueles que muitas vezes são a própria fome. Não há nome que se dê. O que fica são os vestígios, mordidas dadas, tentativas. Eu não posso ficar. Se escapo até de mim, não há maneira de me prender.

2 comentários:

cleo disse...

É tudo o que estou sentindo hoje...

Talita Pinheiro disse...

e eu, toda vida.
saudades.

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 2.5 Brasil License.